Terça, 19 Outubro 2021

Facebook

No Outubro Rosa, é fundamental fazer o exame

Publicado em Sindicato Cidadão Segunda, 11 Outubro 2021 10:51

 

Neste mês de outubro, um alerta está sendo feito às mulheres. É a campanha do Outubro Rosa, que tem como objetivo principal chamar a atenção das mulheres e da sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e também do câncer de colo do útero.

 

“É indispensável dar destaque para importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, assim como sobre o câncer de colo do útero. Sempre é necessário ressaltar que o câncer de mama é a doença que mais mata mulheres, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Por isso, é fundamental fazer o exame”, alertou a secretária da Mulher da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Elaine Cutis.

 

O câncer de mama é um tumor maligno que ataca o tecido mamário e é um dos tipos mais comuns, segundo o Inca. Caso esse tipo de câncer seja diagnosticado precocemente, as chances de cura aumentam em 95%, de acordo com o Instituto Oncoguia.

 

O diagnóstico da doença é realizado por meio do autoexame e exames de imagem, como o ultrassom, a mamografia e a biópsia. É importante que as mulheres observem suas mamas sempre que se sentirem confortáveis para tal. Pode ser no banho, durante a troca de roupa ou em outro momento da rotina.

 

Para fazer o autoexame, a mulher precisa colocar uma das mãos atrás da cabeça. Usar os dedos da outra mão para tocar a mama. Também precisa fazer movimentos circulares iniciando no mamilo e estendendo-se até a axila. O autoexame permite que a mulher identifique prematuramente alterações presentes nas mamas, seja de tamanho ou a aparição de pequenos nódulos. É importante destacar que o autoexame não substitui a visita ao médico.

 

A realização de exames médicos para prevenir o câncer de mama ainda está abaixo do adequado no país. Em 2020, deveriam ter sido realizadas 11,5 milhões de mamografias no Brasil, mas apenas 2,7 milhões foram feitas, de acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia.