Quarta, 23 Junho 2021

Facebook

"Queremos que os bancos apresentem proposta na semana que vem", afirma presidenta da Contraf-CUT

Publicado em Notícias Sexta, 14 Agosto 2020 23:07

 

Após seis rodadas de negociação e discussão das reivindicações da categoria, o Comando Nacional dos Bancários aguardam que os representantes da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentem uma proposta já na próxima semana. O próximo encontro (virtual) entre as partes acontece na próxima terça (18).

 

"Passamos a pauta e queremos que eles apresentem proposta na semana que vem. Queremos aumento real e a PLR. Os bancos sempre lucram, mesmo numa crise, foram os primeiros a serem protegidos pelo governo da crise econômica da pandemia", disse Juvandia Moreira, presidenta da Federação nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeira (Contraf-CUT) e coordenadora do Comando Nacional da categoria.

 

Nesta sexta-feira (14), os representantes dos trabalhadores apresentaram as cláusulas econômicas e sociais. Foram debatidos, sobretudo, aumento real (acima do índice da inflação); pagamento de Participação nos Lucros e Resultados (PLR); auxílio refeição e auxílio cesta alimentação no valor de R$1.045,00 (cada) por mês.

 

A classe defende, ainda, que o pagamento de benefícios - como os vales alimentação e refeição - durante o trabalho em home office. "Quando o bancário vai para casa no teletrabalho, passa a gastar mais. De agosto do ano passado a julho deste ano, de acordo com o IBGE, a inflação dos alimentos no domicílio aumentou 9,7%, bem acima da inflação geral, que foi de 2,66%", lembra Juvandia. 

 

As instituições bancárias reduziram em R$ 267 milhões despesas com água, luz, gás, vigilância, segurança e viagens apenas no primeiro semestre de 2020. No Banco do Brasil, Bradesco, Santander e Itaú, a despesa de pessoal caiu R$ 1 bilhão.

 

A expectativa é que a Fenaban, nas próximas reuniões, apresentem propostas de corte de direitos. Entretanto, os bancários estão pontos para lutar até o fim. "O lucro dos 4 bancos que divulgaram balanço no 1º semestre foi de 28 bilhões. Metade das categorias que fecharam acordo esse ano tiveram aumento real, os bancos podem dar aumento real. E mais, os bancários não vão aceitar nenhum direito a menos”, lembrou Juvandia, ao pontuar que os representantes bancários alegam queda nos resultados.

 

Cláusulas sociais - Suspensão dos processos de terceirização pelos bancos; criação de uma comissão para debater, acompanhar e apresentar propostas em razão dos projetos de mudanças tecnológicas foram algumas reivindicações apresentadas pelos bancários.

 

A categoria também reivindica a isenção de tarifas e cobrança de juros menores aos trabalhadores das instituições bancárias - algo que a Fenaban não concorda. A Fenaban também evitou discutir a proposta de aumentar a estabilidade de 24 para 36 meses imediatamente anteriores ao preenchimento dos requisitos para obtenção de aposentadoria.

 

A presidenta da Contraf-CUT lembra da importância da participação dos bancários nessa campanha salarial. “A categoria tem que acompanhar essas negociações, agora ainda mais porque vamos entrar em uma semana decisiva”, convoca.

 

Veja os principais pontos discutidos na reunião desta sexta-feira (14)
Terceirização – Bancários querem que os bancos suspendam a implantação de quaisquer projetos de terceirização, a partir da data de entrega da presente pauta de reivindicações.

Comissão sobre mudanças tecnológicas – Criar uma comissão bipartite para debater, acompanhar e apresentar propostas em razão dos projetos de mudanças tecnológicas e organizacionais, reestruturações administrativas, introduções de novos equipamentos, acesso remoto e outras situações similares das empresas abrangidas por esta convenção.

Isenção de taxas e cobrança de juros menores – Os bancos isentarão os trabalhadores abrangidos por esta convenção do pagamento de quaisquer tarifas bancárias.

Indenização adicional – o pedido é pra aumentar o valor. Caso dispensas se concretizem, os bancos pagarão indenização adicional, no valor equivalente a três vezes a maior remuneração do empregado para cada cinco anos trabalhados.

Estabilidade na pré-aposentadoria – Estabilidade para o trabalhador em período de pré-aposentadoria a partir de 36 meses imediatamente anteriores ao preenchimento dos requisitos para obtenção de aposentadoria

Comissão de segurança bancária – Manutenção e continuidade dos trabalhos da Comissão de Segurança Bancária.

Renovação da Convenção Coletiva de Prevenção à Violência contra a mulher