Quarta, 05 Outubro 2022

Facebook

Vitória do Movimento Sindical: Santander recua e não abrirá agências neste sábado (22)

Publicado em Santander Sábado, 22 Janeiro 2022 09:21

 

Após grande pressão do movimento sindical e a atuação do Sindicato dos Bancários de Niterói e região que conseguiu uma liminar proibindo a abertura das agências do Santander neste sábado (22/01), o banco recuou e emitiu um comunicado informando que não abriria suas agências para atendimento do programa “Desendivida” orientando os clientes a procurar os canais digitais.

 

A liminar que proibiu a abertura de agências do Santander nos 16 municípios atendidos pelo Sindicato foi obtida após ação determinada pela diretoria da entidade com a assessoria do escritório Stamato, Saboya & Rocha Advogados Associados.

 

Mesmo com a garantia judicial proibindo a abertura, diretores do Sindicato amanheceram nas portas das principais agências do Santander em diversos municípios para garantir o cumprimento da decisão da Justiça do Trabalho.

 

A convocação do Santander aos funcionários para abrir as unidades em pleno sábado fere a legislação que prevê que o sábado do bancário é dia útil não trabalhado. Além disso, a medida ignora a Convenção Coletiva de Trabalho assinada pelo banco através da Fenaban de que toda convocação extra ou atividade deve ser previamente negociada com a representação dos trabalhadores, no caso os sindicatos. O Santander agiu de forma unilateral.

 

O Santander decidiu abrir suas três mil agências em todo o Brasil, neste sábado (22), das 10h às 14h, sem qualquer negociação com a representação sindical dos trabalhadores. O banco se limitou a fazer uma ligação para a representação dos trabalhadores para informar sobre a decisão que já havia sido tomada, sem abrir possibilidades de negociações.

 

Foram convocados para o trabalho no sábado os gerentes de negócios e serviços (GNS) de 8 horas; gerentes gerais; e gerentes PJ, PF e Van Gogh. Caixas, GNS de 6 horas e demais cargos não descritos acima não estavam convocados.

 

Mesmo com a convocação fora do horário de jornada de trabalho, o banco negou o pagamento de horas extras alegando dificuldades sistêmicas para tal.