Domingo, 16 Junho 2019

Facebook

Ato contra a reforma da previdência e demissões retarda abertura de agência do Itaú em Niterói

Publicado em Destaque Sexta, 22 Março 2019 15:02

Trabalhadores de todo país estão nas ruas nesta sexta-feira (22/03) para protestar contra a reforma da previdência proposta pelo governo Bolsonaro. Em Niterói, o Sindicato dos Bancários iniciou uma atividade nas primeiras horas da manhã retardando a abertura da maior agência do banco Itaú, localizada na Avenida Amaral Peixoto, principal corredor bancário da cidade, no Centro de Niterói.

 

A escolha do local para fazer a manifestação é representativa já que o Itaú demitiu nos últimos dias mais de 40 bancários no Estado do Rio. O banco também um dos principais interessados nas mudanças na previdência social.

 

“Estamos nas ruas hoje por ato que de agora em diante deve ser permanente. Vamos todos juntos lutar contra reforma da previdência que, na verdade, é uma “deforma” da previdência e que vai impactar diretamente na vida dos trabalhadores”, disse Jorge Antônio Porkinho, presidente do Sindicato durante uma de suas intervenções. Os demais diretores da entidade destacaram os ataques que os benefícios sociais sofrerão caso a reforma seja aprovada.

 

O ato em Niterói contou com a participação do presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no estado do Rio, Marcelinho Rodrigues que frisou dia histórico que a classe trabalhadora vive nos atos contra o fim da aposentadoria.

 

A partir das 16h, trabalhadores(as), movimentos sociais e comunitários farão um grande ato nas proximidades da igreja Candelária, no Centro do Rio.

 

Em todo país, as centrais sindicais e os movimentos populares realizam manifestações. Já estão confirmados atos em mais de 100 cidades.

 

Se a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo for aprovada as pessoas serão obrigadas a trabalhar e contribuir por mais tempo, mas receberão menos. Ao mesmo tempo, o governo e as empresas serão isentas de dar suas contribuições.