Quarta, 23 Junho 2021

Facebook

Proposta de redução de PLR é recusada por bancários

Publicado em Notícias Quarta, 19 Agosto 2020 12:09

 

Uma proposta de redução da Participação nos Lucros e Resultados foi apresentada pela Federação Nacional dos Bancos durante a sexta rodada da negociações com o Comando Nacional dos Bancários, que aconteceu nesta terça (18). Os representantes da categoria recusaram a proposta na mesa, sem sequer considerá-la.

 

Os bancos apresentaram uma redução de até 48% na PLR, dependendo da faixa salarial. Vale lembrar que o lucro em 2019 obtido pelos bancos foi de R$ 123,4 bilhões. "Pelo que os bancos propõem, alguns parâmetros da nossa PLR voltariam a patamares de 1995 ou 2004. É um absurdo! Por isso rejeitamos a proposta na mesa. E reforçamos que os bancos continuam sendo o setor mais lucrativo da economia", comentou Ivone Silva, uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários.

 

"Mesmo nesse contexto de crise econômica, agravada pela pandemia de coronavírus, o setor bancário continua apresentando lucros. Não há prejuízo. Portanto, não tem sentido reduzir as parcelas de distribuição desses lucros com os trabalhadores. Não aceitaremos retrocessos!”, destacou Ivone, que também é presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo.

 

Em linhas gerais, a proposta da Fenaban é reduzir a regra básica da PLR anual para: 72% do salário + Fixo de R$ 1.965,83, com limite individual de R$ 10.545,74 (desde que não ultrapasse 12,8% do lucro líquido do exercício). Hoje é: 90% do salário + Fixo de R$ 2.457,29, com limite individual de R$ 13.182,18, e desde que não ultrapasse 12,8% do lucro líquido do exercício. Os bancos propõem também reduzir a parcela adicional para: 2% do lucro líquido do exercício dividido pelo número de empregados elegíveis, com limite individual de R$ 3.931,67. Hoje é: 2,2% do lucro líquido do exercício dividido pelo número de empregados elegíveis, com limite individual de R$ 4.914,59.

 

A Fenaban também propôs que a Convenção Coletiva de Trabalho preveja a compensação dos valores pagos como PLR dos programas próprios dos bancos. “Ou seja, além da redução dos valores da PLR-CCT, os bancos ainda querem que, desses valores, sejam descontados os valores pagos como programas próprios. Ou seja, o montante aos bancários seria ainda menor”, explica Ivone.

 

Entenda melhor a redução da PLR:

 

 

Veja como ficaria a PLR em cada banco com a proposta da Fenaban: