Domingo, 08 Dezembro 2019

Facebook

Itaú e Banco do Brasil anunciam plano de demissão voluntária

Publicado em Notícias Sexta, 09 Agosto 2019 13:52

Itaú Unibanco e Banco do Brasil anunciaram no fim de julho um plano de desligamento voluntário para seus funcionários.

 

O plano do Itaú é o primeiro programa do tipo desde 2009, e foi divulgado junto aos resultados financeiros do segundo trimestre. O banco não informou quantos funcionários espera alcançar com o plano de desligamento, mas o presidente do banco, Cândido Bracher, informou que cerca de 6.900 pessoas estão aptas a participar do programa. Todos devem ficar atentos às regras do PDV.

 

O Itaú Unibanco terminou junho com 98.446 funcionários no mundo, uma queda de cerca de 1,5% sobre um ano antes, e 85.161 funcionários no Brasil.

 

Além das demissões voluntárias, o banco também anunciou o fechamento de mais de 200 agências em todo o Brasil.

 

De acordo com o presidente, a motivação para o PDV se deve à digitalização dos serviços bancários.

 

O Itaú Unibanco teve alta de 10,2% no lucro do segundo trimestre, a 7,034 bilhões de reais, apoiado em crescimento da carteira de crédito e ganhos com operações de tesouraria.

 

Banco do Brasil

 

O Banco do Brasil, por sua vez, disse que vai lançar uma reorganização institucional que terá um “Programa de Adequação de Quadros”.

 

O Banco do Brasil já havia feito seu último plano de desligamentos no ano passado, reduzindo o quadro em 2.195 funcionários. O banco terminou 2018 com 101.000 colaboradores.

 

Assim como no Itaú, o objetivo é adequar vagas por conta da digitalização. 

 

A reestruturação também inclui ainda transformar 333 agências em postos de atendimento, e 49 postos de atendimento em agências. Até outubro, o BB também vai criar 42 novas agências dedicadas a empresas. A medida, segundo o Banco do Brasil, se dá em um contexto em que 80% das transações já são feitas por celular ou internet.

 

O Banco do Brasil alegou que não tem objetivo de reduzir seu quadro de funcionários, mas adequá-lo às novas demandas do banco, e, portanto, assim como no Itaú, não há meta de desligamentos.

 

“O Banco do Brasil reitera que estas e outras iniciativas se alinham ao propósito de ampliar a competitividade, por meio da transformação digital e do dinamismo do modelo de atendimento e relacionamento”, disse em comunicado o vice-presidente de Gestão Financeira e Relações com Investidores, Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo.