Segunda, 01 Junho 2020

Facebook

Sindicato e Contraf-CUT cobram fim do horário estendido e extensão do trabalho remoto

Publicado em Notícias Quinta, 14 Maio 2020 21:45

A união, mesmo a distância e a mobilização dos trabalhadores têm mostrado a sua força durante a pandemia do coronavírus (Covid-19). A última conquista desta mobilização foi na sexta-feira (8) à noite, quando a direção da Caixa Econômica Federal recuou da decisão equivocada de convocar os gerentes gerais para ficarem em frente de suas agências fechadas (das 7h às 9h) para indicarem quais as agências estariam abertas. Isso colocaria em risco os empregados, além de não ter resultado algum já que um cartaz teria o mesmo efeito.

 

“A convocação dessa sexta-feira seria mais um desrespeito aos trabalhadores que estão na linha de frente do atendimento à população e cumprem com orgulho o papel social que o banco público desempenha. Foram os empregados da Caixa que atenderam aos mais de 50 milhões de brasileiros que necessitam do auxílio emergencial neste cenário de pandemia da Covid-19. Todos estão trabalhando com empenho, mesmo com a redução de pessoal dos últimos cinco anos e o quadro de precarização que a Caixa impõe aos empregados”, afirmou o coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa, Dionísio Reis.

 

A luta agora tem de ser pela garantia do direito dos empregados descansarem. Por isso, a CEE/ Caixa reivindica o fim do trabalho aos sábados e do horário estendido. A comissão cobra a renovação dos acordos de trabalho remoto e do fortalecimento dos protocolos de saúde, uma vez que a contaminação pelo coronavírus (e suas complicações) só tem aumentado no país.

 

“A direção da Caixa deve entender que além de empregados somos humanos e que o cansaço ataca o sistema imunológico. É indispensável o repouso não só pelo esgotamento físico, mas também psíquico. Os empregados precisam ser respeitados”, afirmou Dionísio.

 

Outra batalha urgente é a pressão contra o Projeto de Lei que fixa horário especial de funcionamento da Caixa durante a pandemia, apresentado deputado federal Diego Andrade (PSD-MG), nesta semana. Pelo texto do PL 2489/20 em análise na Câmara dos Deputados, o horário de atendimento das agências, durante a pandemia, seria das 6h às 22h.

 

“Os empregados as Caixa já estão com jornadas excessivas e debilitantes. O cansaço ataca o sistema imunológico, o que os expõem ainda mais aos riscos do Covid-19 ou mesmo de uma estafa”, disse o coordenador da CEE/ Caixa.